Tretas e Cenas

Tretas e Cenas


Onde escrevo as minhas tretas. Tão depressa estou a escrever sobre algo poético como a seguir escrevo só para não me esquecer.

Julho 2018
S T Q Q S S D
« Fev    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Categorias


OpenHab e a sua estrutura

Este artigo é o primeiro de uma série onde vou explicar como o OpenHab funciona.

Pedro FonsecaPedro Fonseca

Olá,

Hoje vou iniciar um projecto que tem como objectivo explicar o que é isto das Internet das Coisas, mais propriamente tudo o que tenha a ver com a automatização de uma casa.

Vou tentar colocar informação com alguma regularidade de acordo com o meu tempo livre.

A ideia será explicar, passo a passo, a minha aprendizagem neste tema e partilhar contigo todas as minhas dificuldades e sucessos.

Quero, também, deixar claro que não sou um entendido na matéria, sou apenas um curioso que pretende ir aprendendo à medida que cria automatismos na sua casa.

O que vou explicar será sempre a minha forma particular de abordar as coisas, não sei se existe uma melhor ou pior maneira de o fazer, esta é a minha forma de o fazer, de forma cronológica e à medida que for acontecendo.

Dito isto, à um tempo atrás achei engraçado poder controlar uma TV ou uma tomada através do telemóvel, estivesse ou não em casa. Decidi pesquisar sobre o assunto e encontrei imensas coisas, muitas delas usam sistemas proprietários e até têm os seus próprios protocolos obrigando a que se compre o kit completo da marca X ou Y, claro que depois a interoperabilidade de aparelhos de diferentes marcas é mais complexa se não impossível.

Claro que este não é o caminho que pretendo seguir, quero poder ter diferentes equipamentos, de diferentes marcas, mas que todos trabalhem em conjunto sem grandes problemas. Vou optar por ter sempre aparelhos Open Source ou que seja aceites por usarem protocolos que permitam integrações.

Uma das primeiras coisas que tive de decidir foi qual seria o gestor centralizado de todos os meus dispositivos. Existem vários por aí, mas vou foquei-me apenas em dois: O Home Assistant e o OpenHab. Estes são os mais falados e usados por serem Open Source e porque permitem muitas integrações e customizações.

No meu caso o Home Assistant pecava porque tinha de ter um Raspberry Pi para o testar, como não tinha um Pi na altura, decidi testar o OpenHab que podia ser instalado em qualquer tipo de sistema operativo, o que dá imenso jeito para se testar sem se gastar um cêntimo.

Foi o que fiz, instalei o OpenHab no Windows e cedo percebi que era imensamente complicado, ou melhor, ele não é complicado, a sua estrutura é que tem de ser percebida antes de podermos fazer alguma coisa.

E é disso que vou falar hoje, OpenHab e a sua estrutura.

Agora relaxa um pouco, vai beber um copo de água, porque o que te vou explicar a seguir é um pouco complexo mas tu tens de aprender isto agora, estes conceitos serão a base de tudo o que o Openhab usa e faz.

Então vamos lá, vou começar pelas Things, em português, as Coisas. O site do OpenHab diz assim

Coisas são as entidades que podem ser fisicamente adicionadas a um sistema e que podem potencialmente fornecer muitas funcionalidades num só dispositivo.

Uma Coisa, é algo que existe, fisicamente ou não. Pode ser uma tomada, um medidor de temperatura, um webservice, etc. Isso é uma Coisa. Essa coisa fornece informação, seja quantos Watts está a gastar ou até mesmo a voltagem. Cada Coisa terá as sua informação. Digamos que essa informação é como se fosse as capacidades da Coisa.

Então, todas as Coisas expõem as suas capacidades através de Canais, mas estas capacidades só ficam ligadas ao OpenHab através de uma coisa que se chama Bindings, em português, Amarrações.

Estas Amarrações podem ser vistas como adaptadores que tornam as Coisas disponíveis ao olhos do OpenHab e que ajudam os Itens a ligarem-se com as Coisas. Não confundir as Amarrações com as Ligações.

Agora perguntas tu e muito bem, mas o que é isso dos Itens e Ligações? Pois, os Itens representam recursos que podem ser usados por aplicações, seja em interfaces ou lógica de automação. Os Itens têm estado e até podem receber comandos. Já as Ligações são usadas para ligar as Coisas e os Itens, são umas espécie de cola que permite que as acções de um tenha consequência no outro.

Portanto, as Coisas têm Canais que têm Amarrações que permite que o OpenHab saiba que as Coisas existem, já a ligar os Itens às Coisas temos as Ligações.

Ufa, isto não é simples de entender, mas espero que com este desenho que fiz tenha sido mais simples de entender, mas não te preocupes se não percebeste, com o tempo e com os exercícios que vou criar mais à frente vais ver que ficas a saber isto na ponta da língua. O que importa saber é que existem Coisas e Itens. Pelo meio existem outras coisas que ajudam a que as Coisas e Itens se entendam. Mas o OpenHab não é só isto, ele ainda tem os “Sitemaps”, as Regras, a Persistência, os Icons e mais um conjunto de coisas, que para agora não importa.

Tudo isto que referi vais aprender mais tarde, com exercícios simples para que a informação fique consolidada e consigas perceber realmente como tudo funciona.

Espero que tenhas gostado, se tiveres alguma dúvida, comentário ou sugestão, coloca abaixo e assim que puder terei todo o gosto em responder. Obrigado e vemo-nos no próximo.

Sou licenciado em Sistemas de informação na Universidade Lusófona, gosto de tecnologia, programação, desportos radicais, bicicletas e motas. Adoro o Sistema Android e começo a gostar de Linux. E ainda tenho a mania que sei cozinhar.

Comentários 0
Ainda não existem comentários