Tretas e Cenas

Tretas e Cenas


Onde escrevo as minhas tretas. Tão depressa estou a escrever sobre algo poético como a seguir escrevo só para não me esquecer.

Novembro 2016
S T Q Q S S D
« Set   Dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Categorias


Horta vertical – Que materiais usar e como construir

Estou a explicar como fiz a minha horta vertical e que materiais usei.

Pedro FonsecaPedro Fonseca

Um horta vertical é algo que me permitiu ter ervas aromáticas na minha cozinha, sempre frescas e orgânicas. Bastou um pouco de amor, carinho e algum engenho. Pelo meio fiz alguma reciclagem.

Adoro ter ervas aromáticas nas minhas refeições e para que isso fosse possível tentei, por diversas vezes, comprar aqueles vasos super caros que vendem em qualquer hipermercado com todo o tipo de ervas, os primeiros dias até corria bem mas à medida que o tempo passava as ervas morriam. Passado umas duas semanas já não tinha nada.

Nunca percebi o esquema para as mater vivas, lá regava de vez em quando mas inevitavelmente acabavam por morrer.

Foi então que decidi criar uma horta na minha varanda, pensei que não devia ser assim tão complicado e de certeza que alguém já o tinha feito e partilhado na internet.

A PESQUISA SOBRE HORTAS

A primeira vez que vi pesquisei sobre este assunto descobri imensos projectos, todos bastante originais, uns para quem tem mais espaço, outros que se preocupam em aproveitar melhor a água e ainda existem uns que aproveitam cada centímetro de espaço disponível. Basta ir ao senhor Google e pesquisar por horta vertical

Após escolher alguns projectos como base para retirar as minhas conclusões e como diz o Kirby Ferguson, que tudo é uma mistura, lá me decidi pela melhor informação e com ela fiz a minha mistura de ideias tendo em conta as minhas condicionantes.

OS MATERIAIS PARA A HORTA VERTICAL

GRUNDTAL Toalheiro, aço inoxidável – 9.99€

Será este toalheiro que te irá suportar as garrafas, por esse facto, tem de ser resistente, mas não tem necessariamente de ser um toalheiro, pode ser qualquer coisa, eu escolhi isto.

4 Garrafas de Coca-Cola de 2L – De 0€ até 6.19€

Estas garrafas serão os teus vasos, será isto que irá conter a terra. São garrafas PET, perfeitamente normais. Podem custar-te algum dinheiro ou nada, depende da forma como as arranjares. Se as comprares ainda tens o prazer de consumir os seu conteúdo.

Berbequim – De 0€ até 100€

Qualquer pessoa tem um berbequim, mas nunca se sabe. Se for para fazer apenas este projecto recomendo alugares um ou pedires emprestado a um amigo.

Broca de madeira DEXTER PLANA 28X152MM – 4,79€

Esta broca irá permitir furar o fundo das garrafas para que as possas emparelhar umas nas outras. Tem de ser exactamente de 28mm senão não vai dar.

Broca de madeira DEXTER PRO 6MM- 6.69€

Esta broca irá servir para fazer pequenos furos no fundo da garrafa e será aqui que vamos prender alguns fios para a segurar à prateleira. Não tem de ser exactamente esta broca, nem tem de ser exactamente 6mm, mas foi isto que usei.

Broca de betão de 8mm – Até 5€

Se não tens uma broca de betão de 8mm, compra logo uma coisa como deve ser, sugiro isto: Estojo 5 BROCAS BETÃO DEXTER PRO 4-10MM

Buchas RED HEAD 8mm

Serão estas buchas que vão segurar os parafusos que falo a seguir e que por sua vez vão segurar a prateleira. Gosto muito delas pela sua qualidade e não são caras, sei que se vendem no Leroy mas não as consegui encontrar no site nem me lembro do preço.

4 Parafusos TORX 6X50 – 1,59€

Estes parafusos irão prender o suporte das garrafas à parede. Sempre que posso escolho TORX porque são mais fáceis de usar e não se gastam tão depressa na cabeça. A outra facilidade é que se pode usar com a aparafusadora/berbequim com maior facilidade.

Cerra-cabos AÇO 6MM – 0.59€

Este serra-cabos irá servir para segurar as pontas dos fios que vão sair do fundo garrafa que vai ficar a segurar na prateleira. Preferi usar um serra-cabos invés de fazer um nó porque assim consigo ter maior mobilidade e não crio desperdício em novos fios.

Fios eléctricos de fonte de alimentação – 0€

Estes fios irão servir para prender a primeira garrafa à prateleira. Aproveitei uma fonte de alimentação que tinha na garagem, retirei os fios e cortei-os à medida que pretendia. Estes fios são bons porque suportam bem o sol e são resistentes.

Terra preta – 0€

Será nesta terra que as sementes vão crescer. Fui a um bosque/serra e apanhei um balde cheio de terra, chega perfeitamente para uma primeira experiência. Se preferires também podes comprar, mas julgo que não vale apena.

Areia da praia- 0€

A areia irá ficar entre a terra e o pano que falo abaixo. Servirá de filtro para a água que iremos usar nas regas.

Pano ou t-shirt – 0€

Este pedaço de tecido irá servir para separar a areia, que vai ficar em cima, do cascalho/brita, que fica em baixo. Assim não irá entupir a tampa e permitir que a água passe em problemas.

Brita ou cascalho – 0€

Esta brita ou cascalho irá para o fundo da garrafa para permitir um melhor escoamento da água que vem de cima e não permitir que a tampa fique entupida.

Recipiente – 0€

Este recipiente irá servir para colectar a água que sobra depois da rega. Com a gravidade a água vem descendo e a que está a mais fica neste recipiente.

CONTRUÇÃO DA HORTA VERTICAL

Antes de começares a construir tens de pensar onde a vais colocar, se viveres num apartamento não tens muito por onde escolher não é? A varanda é sempre o melhor sitio.

Vou dividir a construção em duas fases, a primeira será pendurar o suporte para as garrafas, já a segunda será modificar as garrafas PET e a terceira será pendurar, colocar a terra e semear.

Primeira Fase

Para pendurar o que vai suportar as garrafas decidi fazer uma pequena medição. Medi cada garrafa PET, multipliquei por quatro e deu uma margem de uns 30 a 40 cm. A mim deu-me 166cm, arredondei para 170cm.

Esta será a distância que o suporte vai estar do chão, vai permitir que as quatro garrafas fiquem suspensas e ainda terás espaço na base para colocar o tal recipiente para colectar a água remanescente.

Depois de saber esta distância, fiz medições com um nível de bolha e usei o berbequim para furar a parede com a broca de betão, coloquei as buchas pendurei o suporte e fixei tudo muito bem com os parafusos torx.

Segunda Fase

Comecei por tirar todas as tampas e fazer uns furos nas mesmas com uma broca de madeira, podes usar a dimensão que quiseres, eu usei de 2mm. Fiz cerca 7 furos em cada tampa, afinal serão estes furos que vão permitir escoar a água com mais facilidade.

De seguida, no fundo da garrafa, mesmo no centro, e usando a broca plana de 28mm fiz um furo. Repeti o processo em 3 das 4 garrafas. Aconselho a arranjares uma forma segura de prenderes a garrafa quando a estás a furar, é que é bastante complicado sem que assim seja.

dsc_0020-1

Para a quarta garrafa, primeiro comecei por cortar 5 fios do mesmo tamanho e numa das pontas dei um nó. Depois fiz uns furos no “cu” da garrafa e foi aí que fiz passar os fios.

Falta abrir a “janela” na garrafa. As dimensões da janela deixo ao teu critério, eu segui uma regra de 5, ou seja, todas a garrafas PET têm uns tracinhos vincados, contei 5 e cortei por aí.

Usei uma caneta de escrever em CDs ou assim e marquei onde queria cortar, depois peguei num X-Acto para fazer os cortes. Repeti o processo para as 4 garrafas.

dsc_0018-2

Depois de tudo cortado, montei todas a garrafas e respectivas tampas, basicamente passando o gargalo de uma garrafa pelo “cu” da seguinte, passe a tampa pela “janela” e apertei no gargalo da garrafa que entrou pelo “cu”.

O suporte que recomendei acima na lista de materiais consegue ter espaço para 4 filas de garrafas, no máximo 5. Montei apenas uma fila da primeira vez, isto porque não sabia se iria resultar, se tu quiseres podes já fazer 4 ou 5 filas e montar logo tudo.

Terceira Fase

dsc_0019Depois das filas de garrafas montadas está na hora de as prender ao suporte. É aqui que entra o serra-cabos, será ele que vai pegar em todos os fios e os vai prender ao suporte. Podia ter feito um nó, mas assim tenho mais facilidade em aproveitar os fios se quiser mudar/trocar as garrafas.

Agora vais que já tens as filas de garrafas penduradas, está na hora de colocar a terra, areia e o cascalho. Vais começar pelo cascalho, coloca um pouco, eu usei uma mão cheia. De seguida coloca um pouco de pano por cima do cascalho.

dsc_0024

Este procedimento é muito importante porque vai permitir que a areia não entupa a tampa e deixe passar a água.

Depois de colocares um pedaço de pano por cima do cascalho, coloca a areia, eu coloquei até fazer cerca de meio centímetro de altura, não é preciso mais. Depois só te falta a terra, eu cobri até quase chegar ao início da “janela” da garrafa, e as sementes do que pretenderes plantar. O resultado final deve ficar mais ou menos como a fotografia seguinte.

dsc_0022

Para concluir a construção só te falta mesmo colocar o recipiente por debaixo da última tampa e está feito. Agora já podes regar a garrafa do topo, a gravidade vai fazer com que a água desça e irá chegar ao recipiente que irá aproveitar a água que pode ser usada na próxima rega.

CONCLUSÕES E PROMESSAS

O projecto é muito simples de se fazer e até de manter, eu rego apenas uma vez por dia e tem funcionado. Ainda existe muito por onde melhorar, por exemplo, pretendo fazer com que a água invés de ficar no recipiente cá em baixo vá para um recipiente no topo do suporte das garrafas. Com isso quero tornar a rega o mais automatizada possível.

Outra melhoria que pretendo fazer é evitar que as gotas caiam com tanta força sobre os pequenos rebentos, tenho de inventar uma maneira de a rega por gravidade tenha menos impacto quando chega à terra da garrafa seguinte.

Mas lá está, um passo de cada vez, a prova de conceito já vi que funciona, agora só tenho de a melhorar aos poucos.

Prometo no futuro colocar um VLOG de todo o processo de construção, isto porque ainda só tenho um fila de garrafas e pretendo ter mais umas quantas.

Espero que tenhas gostado e se tiveres dúvidas, sugestões ou criticas não hesites em fazer-te ouvir, afinal de contas estamos todos a aprender algo todos os dias 🙂

Sou licenciado em Sistemas de informação na Universidade Lusófona, gosto de tecnologia, programação, desportos radicais, bicicletas e motas. Adoro o Sistema Android e começo a gostar de Linux. E ainda tenho a mania que sei cozinhar.

Comentários 0
Ainda não existem comentários