Tretas e Cenas

Tretas e Cenas


Onde escrevo as minhas tretas. Tão depressa estou a escrever sobre algo poético como a seguir escrevo só para não me esquecer.

Dezembro 2013
S T Q Q S S D
« Nov   Jul »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Categorias


Omate TrueSmart – O Relógio

Pedro FonsecaPedro Fonseca

Nunca gostei de relógios em geral porque sempre achei que um objecto que anda comigo tem de ser polivalente e fazer muito bem o quer que seja que esteja destinado, um relógio banal, por incrível que muita gente ache que chega, estes só dão horas e pouco mais. Depois temos os relógios de desporto e também sempre fui contra por duas razões: demasiado caros e fracos nas capacidades que trazem em termos de software e hardware.

Eu sei que sou esquisito, mas se vou ter um relógio que ande no meu pulso, tem de fazer de tudo um pouco. Parece que em 2013 o Laurent Le Pen decidiu “abanar” um pouco o mercado do relógios e lançou uma campanha no KickStarter, a procura foi tanta que excederam largamente os objectivos iniciais. Eu fui um dos que “patrocinou” este projecto e como quem patrocina tem sempre uns preços porreiros e uns extras, decidi avançar sem pestanejar.

Encomendei o meu no dia 18SET2013 e no dia 20SET2013 fechou a campanha, foi mesmo um golpe de sorte ter conseguido. Diziam que chegaria no inicio de Novembro, passou essa data e já havia malta a refilar com a equipa da Omate, eu mantive a calma e conti a “tesão de mijo” que a cada dia aumentava mais.

Estava quase a desistir de o receber em tempo para o Natal quando chega até mim no dia 20DEZ2013, ou seja, três meses após o fecho da campanha.

Depois de abrir a embalagem deparei-me com uma caixa plástica e com o relógio lá dentro, que bela maravilha. Decidi por o micro-sim, na ranhura lateral, tentei tirar os parafusos com a chave que veio na caixa mas não deu, é muito pequena e não dá jeito nenhum, usei uma das minhas chaves.

Dentro da caixa veio mais uma bateria extra e a caixa que envolve o relógio para carregamento. Ainda veio um cabo USB, parafusos extra e ainda todos os manuais.

Guardei tudo e liguei de imediato. Não vou entrar em detalhes de hardware, para isso passem aqui e vão conhecer bem o equipamento, vou apenas dar a minha opinião do que achei do equipamento e o que acho dele.

Após ligar estava com bateria suficiente para eu tentar perceber como operava, a primeira coisa que percebi foi que não tinha serviços Google, ou seja, Google Play ou Gmail nem vê-los. Já era de esperar, afinal fomos alertados para isso por parte da Omate.

Saquei o APK da internet do Google Play e pus no relógio via USB, instalei e correu tudo normalmente. Instalei as minhas aplicações mais importantes e tudo a funcionar. Mas estava a ter problemas a perceber como se fazia para simular o botão “back” e para simular o botão que dá acesso ao “menu” das aplicações.

Depois de muita luta lá percebi, ora, para abrir o “menu” de uma aplicação faz-se um movimento descente da esquerda do ecrã para o fim do ecrã em direcção ao meio do mesmo, isto mostra o “menu” de uma aplicação caso exista.

menu

Para simular o botão “back”, basta fazer o mesmo movimento mas inverso no canto oposto, como mostra a imagem.

back

 

Depois o relógio tem dois botões físicos, um para ligar/desligar e o outro é o botão “home”, ou seja, para regressar ao ecrã principal. Se ficar continuamente pressionado mostra as aplicações abertas.

2013-12-21 00.40.44

Sendo este relógio com “super poderes”, também dá horas 🙂

2013-12-21 00.35.18

 

Mas depois de “brincar” e configurar tudo certinho, lá fui com ele para o terreno e testei o GPS com o Google Maps. Devo dizer que fiquei muito surpreendido com a rapidez com que apanhou os satélites GPS e como depressa me indicava o caminho.

Mas tinha de testar com as minhas voltas de bicicleta, simulei uma volta, sim simulei, afinal estamos no Natal e só de pensar em treinar já fico sem vontade 🙂

Lá gravei um pequeno percurso no Strava e no RunKeeper, neste ultimo tudo normal, no Strava correu tudo bem mas na altura de gravar, o ecrã que é mostrado não aparece os botões para guardar a actividade. Contactei a equipa do Strava para resolverem este pequeno assunto ( é realmente simples de resolver ) e a resposta foi que não suportam este relógio. Só tenho uma coisa a dizer-lhes: BUUUUUUUUUUUUUUUU!!!!!!

Ainda tenho de pensar como vou mexer na aplicação para conseguir gravar as minhas actividades, mas pronto, no geral correu como seria de esperar.

Em termos de bateria, carrega tão rápido que em apenas 20 minutos fica totalmente carregado.

Depois de já estar dentro da dinâmica do equipamento decidi ir mais longe e adaptar o Kuantize ao Omate TrueSmart, correu lindamente. A versão 0.6.63 já tem suporte para o relógio e adicionei a língua em inglês e espanhol ( o espanhol foi traduzido pelo Luis Gil que agradeço aqui publicamente ). Quero agradecer também ao Pedro Veloso por me ajudar a perceber isto das dimensões de ecrãs em Android, não estava mesmo a conseguir.

Em suma, é um excelente equipamento para quem pretende ter um relógio com “super poderes” e quer deixar o telemóvel de lado. Nota-se que a qualidade é do melhor que existe e que nada foi deixado ao acaso. Eu recomendo, vamos ver o que diz o Filipe Dias e o Hélder Grosso a quem já prometi uma “voltinha” com o relógio para que avaliem se no seu desporto ( estes moços são autenticas lebres da corrida ) se adapta na perfeição. Eles já estão em pulgas para testar 🙂

Sou licenciado em Sistemas de informação na Universidade Lusófona, gosto de tecnologia, programação, desportos radicais, bicicletas e motas. Adoro o Sistema Android e começo a gostar de Linux. E ainda tenho a mania que sei cozinhar.

Comentários 0
Ainda não existem comentários