Tretas e Cenas

Tretas e Cenas


Onde escrevo as minhas tretas. Tão depressa estou a escrever sobre algo poético como a seguir escrevo só para não me esquecer.

Agosto 2012
S T Q Q S S D
« Jul   Set »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Categorias


Adega do Maneca

Pedro FonsecaPedro Fonseca

Depois de uma viagem de 4h até Cerva e já sendo 21:30 a questão levantou-se: Onde vamos comer? A esta hora de certeza que está tudo fechado. Fui informado que existia um restaurante no cimo da estrada que se chamava Adega do Maneca e que normalmente estava aberto até tarde. Ainda me foram apresentadas outras hipoteses mas pela localização decidi escolher a Adega.

Quando cheguei ao local fui recebido pela menina Anabela, que simpatia de moça. Depois das perguntas habituais: Se ainda serviam jantares, se tinham mesa e se tinham multibanco, descobri que não tinham multibanco. Desloquei-me à vila para levantar dinheiro, uns 500 mts abaixo. No regresso o resto do grupo tinha chegado e estávamos prontos para pedir.

Soube mais tarde que a menina Anabela mais o seu marido eram de Lisboa, deixaram a vida da cidade e decidiram arriscar na Vila de Cerva. Para além do restaurante que detêm organizam passeios/caminhadas ao Rio Póio onde é mostrada a fauna e flora do sitio bem como uma explicação histórica e cultural da Vila e terras circundantes. Desejo-lhes muitas felicidades e espero que tenham imenso sucesso, afinal arriscar assim é preciso ter algum espírito aventureiro tendo em conta a conjuntura actual.

De volta à mesa, não tirei fotografia à ementa como é habitual nestas coisas ( e também porque me tinha esquecido do cartão SD em Lisboa…bosta 😛 ), estava com uma fome enorme e ficaram muitas fotografias por tirar, mas posso dizer que tudo o que vi na ementa tinha um nome apelativo e os preços nada caros. Após terem sido feitos os pedidos devemos ter aguardado uns 30 a 45 minutos para que chegassem à mesa, a Anabela explicou a razão de ter sido tão demorado: “Todos os nossos pratos são feitos na hora, a carne é cortada no momento, as batatas fritas na altura, os ovos estrelados antes do prato sair. É o nosso modo de trabalhar, preferimos demorar mais mas a comida sai muito melhor e o cliente fica mais satisfeito”.

Devo dizer que éramos um grupo de 7 adultos e 1 criança e cozinhar pratos diferentes para esta malta em apenas 30 minutos com a premissa de fazer tudo na hora é obra, só por isso merecem a minha admiração.

Chegaram os pratos e que pratos, eram enormes. Eu pedi Bife, de quê não me perguntem que não me lembro, mas uma coisa é certa, estava delicioso – se a Anabela ler isto vai-me “matar”, como é possível eu me ter esquecido, desculpa Anabela. Todos os outros pratos estavam muito bons e em porções muito boas, bebemos Sangria, pedimos algumas sobremesas e uns cafés. O total foi 95€ por 7 adultos e uma criança, decidi arredondar para 100€ por diversos factores: Simpatia, qualidade do serviço, ambiente, o incomodo que foi servir às horas que eram, qualidade da comida e aspecto geral. Saímos das instalações era cerca da meia noite e meia, ainda trocamos umas ideias com a Anabela sobre os bares locais e lá nos despedimos.

A sensação que fiquei no fim de tudo é que fomos comer a casa de um amigo, a simpatia da Anabela é demais, sempre pronta a ajudar e a prestar o melhor serviço possível. Espero que continue assim por muitos anos, irei recomendar este restaurante a todos os que tiver oportunidade, certamente que voltarei um dia destes quando for conhecer o que me falta de Portugal ( Alto Minho e Douro vinhateiro ).

Obrigado Anabela e restante equipa por tudo, boa sorte nesse novo projecto e continua assim que certamente o Adega do Maneca vai ter sucesso garantido.

Mais tarde a Anabela respondeu a este artigo, deixo aqui a sua resposta. Achei por bem publicar porque está latente que todos nós precisamos apenas de algumas palavras de alento para que o nosso dia corra melhor e o da Anabela vai correr de certeza, este e todos os vindouros. Agora a resposta:

Olá Pedro,
 
Não tenho palavras para agradecer e exprimir o que senti, quando comecei a ler o que escreveu no seu blog.
 
Depois de mais um dia difícil, a questionar-me se fiz a opção correta de abandonar toda uma vida muito bem estruturada e vir à procura da realização de um sonho, leio o seu artigo… Senti um arrepio enorme e as lágrimas a correr pela cara, pois alguém que está longe, mas que casualmente entrou no meu restaurante, conseguiu captar toda a energia que eu entrego diariamente a tudo o que faço nesta minha nova forma de vida.
 
Muito, mas muito obrigada, por ter conseguido carregar a minha bateria de energia positiva, para continuar a acreditar que fiz a escolha certa.
 
Será uma enorme alegria poder recebê-los novamente.
 
Um beijinho especial para o seu filho (que olhos verdes maravilhosos).
 
Com os melhores cumprimentos,
Anabela Maia

Sou licenciado em Sistemas de informação na Universidade Lusófona, gosto de tecnologia, programação, desportos radicais, bicicletas e motas. Adoro o Sistema Android e começo a gostar de Linux. E ainda tenho a mania que sei cozinhar.