Tretas e Cenas

Tretas e Cenas


Onde escrevo as minhas tretas. Tão depressa estou a escrever sobre algo poético como a seguir escrevo só para não me esquecer.

Abril 2012
S T Q Q S S D
« Mar   Mai »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Categorias


Um pedaço de paraíso

Pedro FonsecaPedro Fonseca

Turismo rural não é novidade nenhuma, mas quando se fala neste tipo de experiência vem sempre à memória, pelo menos na minha, lugares com um aspecto rústico e com as condições mí­nimas de habitabilidade. Essa percepção mudou quando conheci as casas da Arcos House, a qualidade destas casas está muito acima de muitos complexos turísticos ditos de luxo.

A Arcos House é um conjunto de seis casas que pertencem ao Sr Rui e esposa. Todos elas ficam no concelho de Arcos de Valdevez que pertence ao distrito de Viana do Castelo, um pouco distantes do centro da cidade – mais propriamente 12km. O caminho é tudo menos amigo e chega a ter semelhanças aos caminhos mais recônditos que podemos encontrar em Sintra.

Tive a oportunidade de pernoitar na Casa da Nascente e garanto que foi uma agradável surpresa em todos os sentidos – o nome desta casa foi atribuído pelo facto de dentro da habitação existir um “buraco”, devidamente tapado com vidro, que mostra a nascente de um ribeiro.

A habitação tem todos os luxos que uma casa de cidade tem: TV, Fogão, Micro-Ondas, Lareira, Lenha, Churrasqueira, três casas de banho, Maquina de lavar loiça, Máquina do Café, Varinha mágica, Forno Eléctrico, Fogão Eléctrico, Ar condicionado e Frigorífico. Tudo isto sem contar com roupas da cama e atoalhados.

Para complementar existe partilhado com a Casa dos Troncos: Piscina exterior, Jacuzzi e Sauna. Estes dois últimos são dento da habitação em espaço comum às duas casas. Não experimentei numa delas mas quem o fez disse que estava, e passo a citar: “Muitoooooo bom”.

Existe um livro de visitas na casa onde quem passa por lá deixa a sua mensagem com dicas, sugestões, cumprimentos aos restantes visitantes e outras coisas que tais. Lembro-me especialmente de um comentário – com uma letra de bradar aos céus mas pronto – que algures dizia assim: “… tudo isto é excelente mas o caminho para aqui chegar é mesmo FILHO DA PUTA…”.

É o calcanhar de Aquiles, ou não, dependendo do ponto de vista de quem visita o “complexo” Arcos House. Pessoalmente não achei assim tão mau, claro que se for feito à noite e com condições climatéricas adversas o caso muda de figura, mas nada demais.

A visita foi feita no mês de Abril onde o tempo não ajuda a grandes banhos de sol mas imagino esta casa em tempo de verão e fico com uma sensação que podia ser muito feliz numa casa assim numa altura dessas.

Se recomendo? Claro que sim. Sendo um T2, com dois quartos de casal, convém que os custos sejam repartidos para ficar mais em conta. Aconselho a paragem num super-mercado antes de se rumar à casa e trazer tudo o que possam precisar porque lá não existe nada para alem de água e palha. Já me esquecia, a água que sai pelas torneiras é a dita canalizada e da companhia ( acho eu ) mas se a colocassem numa garrafa de Fastio ( água do Gerês ) não notaria a diferença, é de uma pureza e leveza que fiquei fã.

Portanto, caso esteja na hora de escapar da rotina diária e rumar a um sitio calmo e com imenso verde, aconselho a Arcos House, a viagem pode ser extensa mas vai valer bem apena.

Sou licenciado em Sistemas de informação na Universidade Lusófona, gosto de tecnologia, programação, desportos radicais, bicicletas e motas. Adoro o Sistema Android e começo a gostar de Linux. E ainda tenho a mania que sei cozinhar.

Comentários 0
Ainda não existem comentários