Tretas e Cenas

Tretas e Cenas


Onde escrevo as minhas tretas. Tão depressa estou a escrever sobre algo poético como a seguir escrevo só para não me esquecer.

Julho 2011
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Categorias


Upgrade HTC Desire

Pedro FonsecaPedro Fonseca

Tenho tido algumas pessoas a perguntar-me como fazem upgrade ao seu terminal para uma versão mais atual do Android e as razões que apresentam prendem-se com o facto de estarem com pouco espaço disponível para mais aplicações aplicações ou o terminal está muito lento ou estão fartos do Sense.

A minha resposta é sempre a mesma, existe solução e é simples de aplicar. Por ter explicado imensas vezes considero que chegou a hora de escrever um pequeno artigo para servir de orientação para os  principais passos a tomar para que o terminal ganhe uma nova vida.

Em primeiro lugar aconselho uma cópia de segurança de parte do conteúdo existente no terminal, costumo aconselhar o MyBackup. Depois da copia de segurança terá de ser criado o acesso de ROOT, basta usar o processo do unrevoked que é realmente simples e não tem complicação nenhuma – advirto que os drivers de ADB têm de estar bem instalados.

Depois de o terminal ter reiniciado e já existir o acesso ROOT o passo seguinte é instalar o Rom Manager, será esta aplicação que vai fazer a cópia de segurança do estado atual do terminal mas de uma forma global. Para isso basta abrir a aplicação e escolher logo a primeira opção – Flash ClockworkMod Recovery – e depois de concluído escolher a opção Backup Current ROM, isto vai desencadear um reiniciar do terminal e vão aparecer umas letras no ecrã – durante algum tempo – o que é perfeitamente normal.

Assim que o processo terminar o terminal deve reiniciar.

Ponto de situação: Está feito uma cópia de segurança com o MyBackup, já existe o acesso ROOT e acabou de executar uma cópia de segurança do estado atual do terminal, resta aplicar uma ROM ao gosto, normalmente recomendo a CM7, atenção que existem três tipos de estados nesta ROM, Stable (Estável e pode ser usada),  RC (Quase boa mas ainda em testes) e Nightly (Compilações noturnas que agregam os desenvolvimentos das ultimas 24h e que podem não ser estáveis).

Sempre andei com o meu terminal com base nas Nightly e nunca tive problemas mas aconselho para começar usar uma RC ou uma Stable, para isso basta tirar a ultima versão que se considere adequada e colocar na raiz do cartão SD. A isso tem de se juntar as aplicações Google que podem ser encontradas aqui , usar a versão para CM7.

Mas tudo isto tem de ser complementado ainda com outro processo que vai “moldar” uns detalhes do equipamento, quem trata disso é o AlphaRev. O processo exige um CD virgem ou um RW, ler com atenção o que estão a fazer, este é o único processo que pode realmente danificar o terminal por isso aconselho a que seja feito num portátil com bateria carregada. A imagem que deve ser usada é a Bravo CM7 r2 porque já aceita bem as ultimas versões de CM7.

Ponto de situação: Já está na raiz do cartão a ROM CM7 e o ZIP das GAPPS, já está aplicado o H-BOOT do AlphaRev mas ainda está tudo com Sense e parece que não se fez nada.

De seguida ir para modo Recovery e fazer estes passos: Wipe Cache, Wipe Data, Flash ZIP from SD, Escolher o ficheiro da ROM CM7 e quando terminar fazer o mesmo processo mas escolher o ficheiro das GAPPS.

Neste momento está aplicada a ROM CM7 com as definições de base, basta reiniciar o telefone e esperar um pouco – vai demorar – se o terminal estiver ligado via USB e existir o ADB no PC basta ir à linha de comandos do DOS e escrever assim adb logcat, este simples comando vai mostrar muita informação, se isto acontecer é porque está tudo a correr bem. Não é necessário fazer isto e refiro isto apenas a titulo de curiosidade.

Se tudo correu bem já está com CM7 e a pedir para ser configurado, aconselho que tudo isto seja feito num sitio com rede WiFi para que seja mais rápido.

 

Comentários 0
Ainda não existem comentários