Tretas e Cenas

Tretas e Cenas


Onde escrevo as minhas tretas. Tão depressa estou a escrever sobre algo poético como a seguir escrevo só para não me esquecer.

Julho 2009
S T Q Q S S D
« Jun   Ago »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Categorias


Sebe Saloia

Pedro FonsecaPedro Fonseca

Conheci este restaurante através deste artigo, como estava sem planos para sábado à noite, lá reservei uma mesa para não ter uma surpresa caso não o fizesse.

Já tinha passado naquela estrada, não diria centenas de vezes, mas umas boas dezenas foram de certeza e por incrível que possa parecer, nunca tinha reparado no restaurante. A entrada não chama muito a atenção, só mesmo quem conhece o serviço é que já sabe ao que vai. O parque de estacionamento, é uma rua que temos de ter muito engenho a estacionar, mas a coisa acaba por se resolver.

É composto por duas zonas distintas de refeições e outras duas que serve o publico em geral, como cafetaria e serviço de esplanada. A decoração é rústica com alguns elementos ás lides do campo, mas com um toque de classe.

A mesa que me foi reservada estava numa sala que eles chamam de intimista, não cabem mais de 40 pessoas, tinha uma vista para a parte interior da serra de Sintra, que com o fim da tarde, se torna mais encantadora devido ás cores que o sol lhe dá. Não reparei se era de fumadores ou não, mas não senti a presença de cigarros, por isso, atreveria-me a dizer que é para não fumadores.

Eu estava decidido a experimentar as especialidades da casa, Bifinhos Enrolados e Naco na Pedra. Não aguardei muito pela sua confecção, acho eu, é que estava tão entretido a olhar para as cores da serra e na conversa com a esposa que nem reparei no tempo a passar. A acompanhar a conversa estava uma sangria tinta, muito boa por sinal, apesar de eu gostar dela com mais “borbulhas”, mas estava óptima.

Finalmente chegam os pratos, com a simpatia que já era esperada por causa de quem recomendou, desejam-nos bom apetite. Os bifinhos enrolados estavam muito bons, não perdi tempo a dissecar os seus ingredientes nem o método de preparação, se algo estivesse mal o meu sentido critico, que está sempre em alerta, faria o seu sinal, mas não foi o que aconteceu. O naco na pedra, não tem muita ciência, mas é um tiro nos pés se a carne for de má qualidade.  A carne estava tenra e cozinhou sem problema algum, como não podia deixar de ser, muito bom.

Mas o que mais me agradou e podem achar até ridículo, foram as batatas fritas. Sim as batatas fritas, estavam muito, mas mesmo muito boas. Estaladiças, quentes, não muito gordurosas e com a quantidade certa na travessa, que é cheia até cima. Diria que são viciantes e só parei de as comer porque já estavam frias.

Para sobremesas, apresentaram-me um carta com doçaria genérica, sem nada de ressalvar, ou seria eu que já estava cheio e só me apetecia um gelado daqueles que se vende na rua e que o vendedor anda de mota com a arca frigorífica atrelada.

No fim, apresentaram-me 15€ por pessoa, um preço justo pela simpatia, qualidade do serviço, sossego à refeição, pela vista proporcionada e pelos produtos apresentados a degustação. Estava à espera deste preço, uma vez que o site do restaurante já tem lá os ditos, e por sinal estão um pouco desactualizados, mas é compreensível, afinal a página é de 2007.

Como notas finais, resta-me agradecer aos donos e colaboradores do Sebe Saloia pela forma como lidaram com um estranho na vossa “casa”, prometo ir mais vezes quando assim se proporcionar e claro que irei recomendar a quem precisar de um restaurante para essa zona.

Sou licenciado em Sistemas de informação na Universidade Lusófona, gosto de tecnologia, programação, desportos radicais, bicicletas e motas. Adoro o Sistema Android e começo a gostar de Linux. E ainda tenho a mania que sei cozinhar.

Comentários 0
Ainda não existem comentários